O atual gabinete de estudos e projetos de Arquitetura, Pardal Monteiro- Arquitectos, constitui sequência do atelier do Arq. Porfírio Pardal Monteiro cuja formação remonta ao início do século passado, porquanto, após a doença que o invalidou em Setembro de 1956 e o seu falecimento em Dezembro de 1957, os seus projetos de obras estatais foram continuados por um dos seus colaboradores mais próximos, o seu sobrinho, Arq. António Pardal Monteiro. Atualmente é sócio gerente do gabinete o Arq. Manuel Pardal Monteiro.

Assim, podemos referir, no percurso deste atelier português com uma história de cerca de um século, obras como a Estação do Cais do Sodré, os Institutos Superior Técnico e Nacional de Estatística, as Gares Marítimas de Alcantâra e da Rocha do Conde de Óbidos, a Igreja de Nossa Senhora de Fátima, o edifício do Diário de Notícias, e outros mais recentes como as Universidades de Letras e Direito ou os Hotéis Ritz e Tivoli entre outras já pertencentes à história da arquitetura portuguesa do século XX.

No prolongamento da atividade do atelier de Porfírio Pardal Monteiro destacam-se os projetos das Faculdades de Direito e de Letras, Reitoria da Universidade Clássica de Lisboa e a Biblioteca Nacional que constituíram transição para o atelier de António Pardal Monteiro nos finais dos anos 50.

Dos projetos relacionados com essa transição refere-se o seguinte:

Quando em Setembro de 1956 Porfírio Pardal Monteiro sofre grave doença a responsabilidade da assistência às obras das Faculdades é cometida, em 1958, ao seu sobrinho, arquiteto António Pardal Monteiro, que trabalhara na elaboração dos projetos destes edifícios.

Quando é estabelecido novo programa para a Reitoria da Universidade Clássica contendo um aumento de lotação para mais do dobro e um acréscimo significativo de espaços e funcionalidades é também António Pardal Monteiro chamado para desenvolver um novo projeto, o qual corresponde à atual Reitoria.

Por sugestão do arquiteto foi solicitada a colaboração de Daciano Costa para os arranjos interiores da Aula Magna, Salão Nobre, Sala do Senado e instalações do Reitor.

Em Maio de 1953 fizeram-se os primeiros estudos para o novo edifício da Biblioteca Nacional que foram precedidos de visita e análise das soluções adotadas em diversas bibliotecas europeias, entre as quais as, suíças de Lucerna, Lucarna e Berna, a belga de Gant e a Nacional de Paris sem esquecer, em relação a esta última, os seus arquivos de Versailles. Projeto e obras arrastaram-se por largos anos, só se verificando a inauguração e entrada em serviço do edifício em Abril de 1969, 16 anos após o início dos primeiros estudos. A intervenção do arquiteto António Pardal Monteiro inicia-se com a elaboração dos primeiros estudos, estendendo-se até à fase de projeto de execução. Após doença sofrida por Porfírio Pardal Monteiro, em 1956, são da sua responsabilidade todas as alterações e ajustamentos entretanto introduzidos ao projecto original, bem como o apoio às obras até à sua conclusão.

Por sugestão sua, Daciano Costa foi incumbido dos arranjos interiores da Sala de Leitura Geral, das instalações do diretor e do anfiteatro.

No período compreendido entre os finais dos anos 50 e Fevereiro de 1986 é António Pardal Monteiro único responsável pelo atelier e autor de projetos de vulto onde se destacam, entre muitos outros ilustrados nos “projetos”, os seguintes:

O Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge que em 1968, quando da decisão da construção de novas instalações, foi António Pardal Monteiro designado para a execução do respetivo projeto, cuja elaboração foi precedida de visita de estudo aos então mais recentes laboratórios europeus. O edifício ficou concluído em 1972, tendo o seu projeto merecido aprovação, sem reservas, do delegado da Organização Mundial de Saúde, que acompanhara a sua elaboração.

A ampliação das instalações do Instituto Superior Técnico, em Lisboa, envolveu remodelações nos edifícios iniciais, com integral respeito da traça inicial, e a criação de novos edifícios com programas de elevada complexidade integrando numerosos laboratórios das mais variadas especialidades.

A partir de 1978 o atelier conta com a participação dos Arquitectos. João Pardal Monteiro e Manuel Pardal Monteiro passando a ser conjunta a responsabilidade pela atuação do gabinete. Em Fevereiro de 1986 é fundada a sociedade Pardal Monteiro Arquitectos Lda, que para além dos responsáveis, se apoia numa equipa técnica e administrativa nas suas instalações em Lisboa.

contactos

projectos

atelier

história